quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Festa de N.ª S.ª da Ribeira - Lampaça, Valpaços.

Teve lugar no dia 2 de Fevereiro mais uma romaria de inverno, desta vez em honra de Nossa Senhora da Ribeira. A paróquia de Santa Maria da Ribeira, já nos aparece em 1258, nas Inquirições de D. Afonso III, sob esta designação (sancte Marie de Riparia). Ribeira terá sido o local da primeira sede da freguesia, da qual hoje ainda existem ruínas, na margem direita do rio Rabaçal.
Pela história desta paróquia do tempo da Reconquista, assim como pelo dia do orago, podemos concluir que o culto a Santa Maria nesta região é muito antigo, adotado pela Igreja Católica, na versão de N.ª S.ª das Candeias.
Actualmente, apesar da reduzida população que habita a aldeia da Lampaça acorrem, a esta romaria, além das aldeias vizinhas, filhos e amigos da terra que trabalham em França, contribuindo para alegres momentos de convívio, onde não falta, terminada a missa com procissão solene, uma animada refeição colectiva.
Aldeia da Lampaça
   
Comissão da Festa e cozinheiras de uma óptima feijoada.
Leilão dos produtos oferecidos à Santa.

domingo, 21 de janeiro de 2018

Romaria de S. Sebastião. Freguesia de Cimo de Vila da Castanheira, Chaves.











Muito embora o dia do orago seja 20 de Janeiro, realizou-se hoje a festa de S. Sebastião, cuja tradição vem de tempos antigos. A capela localiza-se no cimo de um monte que, pelas ruínas ainda visíveis, é conhecido por castro de S. Sebastião, provavelmente um castro celta. Associada a esta romaria existiu um feira medieval, que ainda se realizava em 1758, de acordo com a descrição feita pelo pároco da freguesia, na altura. Aí se refere que a feira de S. Sebastião era composta de "várias tendas com panelas, sola, pão alvo, jugos, arados e cestos que vinham da Galiza. Durava três ou quatro horas".
Não havendo no local qualquer memória desta feira, o certo é que o Santo protector contra a fome, a peste e a guerra continua a ser festejado, com muita devoção, pela freguesia de Cimo de Vila e freguesias vizinhas. Consta de uma missa ao início da tarde, seguida da procissão com o andor do Santo à volta da capela. Concluído o leilão dos produtos oferecidos ao Santo que, tal como antigamente, consistem em carnes de porco fumadas e saborosos enchidos, seguiu-se um lanche convívio entre todos os participantes.
Capela de S. Sebastião
Leilão das ofertas ao Santo 
Lanche convívio dos presentes
Altar-mor da capela com o Orago ao centro
Frescos no tecto da capela
O imenso vale da Castanheira visto do alto do monte
A 100 m, no sopé do monte, a igreja românica de S. João Baptista e a torre da Reconquista. 











sábado, 23 de dezembro de 2017

Natal 2017



Estranho Menino Deus é o dum poeta!
O que nasce e renasce há muitos anos
Na minha noite de Natal, fingida,
Mal corresponde à imagem conhecida
Das sucursais do berço de Belém.
É uma criança tímida que vem
Visitar os meus sonhos,e, ao de leve,
Com mãos discretas, tece
Um poema de neve
Onde depois se deita e adormece.
(Miguel Torga, Retábulo)


A todos aqueles que por aqui passam, desejo um Santo Natal e Feliz Ano 2018.